COVID-19 e Diabetes – O que você precisa saber

Recomendações sobre Diabetes em Casa: Gerenciamento Durante a Pandemia do COVID-19

Resolvi Como Presidente da ANAD – Associação Nacional de Atenção ao Diabetes e da FENAD – Federação Nacional de Associações e Entidades de Diabetes, fazer estas recomendações baseadas no que tenho visto, lido principalmente de quem “está no meio da guerra”, como é o caso da Sociedade Chinesa de Diabetes (CDS), da IDF- Internacional Diabetes Federation , do Ministério da Saúde do Brasil e do NHS USA- Publicação Aprovada 001559.

A pandemia do COVID-19 é um desafio comum enfrentado por toda a humanidade com alta taxa diária de crescimento.À medida que a pandemia global se espalha rapidamente, a prevenção e o controle ainda são difíceis. As informações são que a doença ocorre principalmente em pessoas com mais de 60 anos e com doenças pré-existentes, doenças crônicas como o Diabetes, Hipertensão e doença Cardíaca. Os primeiros óbitos no Brasil indicaram que 40% eram de pessoas com Diabetes.Os pacientes com Diabetes que estão com a taxa alta de glicose há muito tempo, tem a resistência diminuída, e correm alto risco de várias infecções.

Portanto é muito importante que os pacientes diabéticos se protejam lutando contra o COVID-19. Os CDS fez 7 recomendações para pacientes diabéticos em 25 de janeiro de 2020, que foi publicado no site do CDS em 6 de fevereiro. Para ajudar pacientes diabéticos a passarem com segurança pela epidemia em casa.

As seguintes dicas devem ser lembradas:

1- Evite contato próximo, mantenha um bom fluxo de ar, lave as mãos com frequência e use uma máscara. Reforçar a autoproteção é a chave para prevenir efetivamente infecções graves com base no bom controle da glicose.Durante um surto de COVID-19, recomenda-se ficar em casa, evite contato próximo e mantenha a circulação de ar em ambientes fechados (Nota: evite resfriados causados pela flutuação excessiva da temperatura fria). Não estando com febre ou sintomas gripais todos devem fazer a vacina da influenza oferecida na Rede Pública – UBS, Postos de Saúde ou em Clínicas. Usar uma máscara quando você tiver excepcionalmente que sair. Cubra a boca e o nariz com um lenço de papel quando você tossir ou espirrar. Mantenha distância entre você e de outras pessoas pelo menos 1,5 metros. Foi identificado o contato próximo como o principal meio de transmissão do COVID-19. Portanto, é recomendável manter as mãos sempre limpas. Lave as mãos frequentemente com água e sabão, especialmente depois de estar em um local público ou depois de assoar o nariz, tossir ou espirrar.Você também pode usar um desinfetante para as mãos que atinja 75% de álcool, se água e sabão não estiverem prontamente disponíveis.Suas mãos, incluindo as pontas dos dedos, palma, costas, dedos e punho devem estar higienizados. Evite tocar nos olhos, nariz, e boca com as mãos não lavadas.

2- Mantenha uma dieta equilibrada e de boa nutrição. A nutrição médica é o tratamento básico do diabetes. Pacientes diabéticos precisam manter o açúcar no sangue controlado e estável, para melhorar a imunidade do corpo, redobrando atenção necessária para uma dieta equilibrada já recomendada pelo seu médico. Aqui, recomenda-se fazer refeições leves e alimentos saudáveis, e evitar consumo excessivo de frituras. Dê preferência à comida com o baixo índice glicêmico, como arroz e pães de trigo integral, legumes, vegetais, cerais e grãos integrais com alto índice de fibras.Evite o consumo de alimentos ricos em carboidratos (como arroz, alimentos com farinha de trigo branca, raízes como batatas mandioca, etc ). Evitar a ingestão de alimentos com de açúcar e doces. Evite a ingestão de alimentos ricos em gordura e escolha proteínas magras (como peixe, carne, ovos, leite, feijão, soja, ervilha grão de bico depois de totalmente cozido). Dieta Equilibrada e variável é recomendada. Vegetais de folhas verdes, cogumelos, carne magra, ovos, peixe cozido no vapor, leite e outros alimentos são recomendados. Frutas não doce (evite sucos de laranjas e uvas) pode ser divididas em duas ou três porções e você pode comê-las após e nos intervalos das refeições. Os horários de ingestão de alimentos devem ser razoáveis e as refeições devem ser pontuais. Bons hábitos alimentares são recomendados. Coma menos no jantar.

3- Mantenha atividade física apropriada. A atividade física é muito importante para pessoas com diabetes. No atual período crítico de controle epidêmico, recomenda-se que pacientes diabéticos façam exercícios em casa. Reduzir o contato e evitar sair de casa. Pelo menos, 30 minutos por dia de atividade física de intensidade moderada, como marchar no local, subir escadas, yoga e assim por diante, adequados às suas condições clinicas. No Youtube tem inúmeras opções. Atividades moderadas não só ajudam a controlar os níveis de açúcar no sangue, mas também melhoram os sentimentos felizes e diminuem o stress. Os exercícios não são aconselhados , se os pacientes desenvolvem hiperglicemia (glicemia aleatória> 300 mg/ml), ou hipoglicemias, grande flutuação de glicose no sangue ou infecções agudas.

4- Mantenha horário regular e bom humor. Tenha paciência esta epidemia vai passar!Pacientes diabéticos devem manter um trabalho e descanso regulares, oque indica que os pacientes não devem ficar acordados ou com excesso de trabalho e devem manter um bom sono em horário razoável pode evitar o declínio da imunidade. Ao mesmo tempo, a atitude calma e otimismo devem ser recomendadas quando pacientes diabéticos enfrentam o Surto de COVID-19. Também é importante manter uma atitude positiva, além de usar máscaras e prestando a atenção à higiene. Recomenda-se manter contato com familiares e amigos através de comunicação por telefone, whatsapp e vídeos , melhorando as condições físicas e mentais. Mantenha a calma o tempo todo e não confie na rede boatos ou informações cegamente sem confirmação oficial para evitar pânico. Distrair-se com jogos , leitura de livros , aulas para as crianças. Não fique assistindo continuamente as notícias pela TV .assim evitamos a depressão e pânico. Atualize estas informações 2 a 3 vezes ao dia pelas fontes oficiais, se achar necessário.

5- Siga os conselhos dos médicos e respeite os medicamentos. Conseguir e manter um bom controle glicêmico pode não apenas manter o corpo em boas condições, mas também melhora a resistência ao COVID-19. Medicação, dietas e exercícios razoáveis são muito importantes. Tomar “de vez em quando, irregularmente ou descontinuado” os medicamentos podem causar um aumento repentino de açúcar no sangue e até causar complicações agudas do diabetes como cetoacidose e coma hipertônico.Portanto, recomenda-se que diabéticos devem seguir o conselho do médico e receber medicamentos dispensados no serviço comunitário de saúde próximo à sua casa durante o período epidêmico de prevenção eJá foi autorizado para 6 meses a dispensação no SUS. O tratamento médico regular e aderente é de grande valia e importância neste período especial.

6- Monitore a glicemia regularmente e mantenha controle glicêmico constante. O monitoramento da glicemia, como parte importante do controle do diabetes, deve ser feito regularmente em pacientes com diabetes. Durante o período de permanência em casa, recomenda-se que os pacientes tratados com medicamentos orais meçam a glicemia em jejum ou a glicemia 2 horas após as refeições, 2-4 vezes por semana. Pacientes tratados apenas com insulina basal são sugeridos para monitorar a glicemia de jejum matinal, enquanto pacientes com insulinoterapia intensiva são aconselhados a monitorar o jejum matinal e glicose no sangue antes do almoço e jantar, adequando suas doses dePacientes diabéticos sem comorbidades são recomendados manter a glicemia em jejum entre 80 a 126 mg/dl e sem-jejum glicemia abaixo de180 mg/dl. Estes alvos de controle podem ser adequadamente relaxados em pacientes idosos ou com muitas comorbidades, conforme orientação de seu médico. Durante o período de epidemia prevenção e controle, o monitoramento regular da glicemia pode evitar eventos adversos como complicações agudas causadas por infecções com glicemia alta ou baixa.São incontáveis os trabalhadores médicos lutando na vanguarda da epidemia dia e noite. Vamos apoiá-los! O melhor apoio dos pacientes diabéticos à equipe médica é fortalecer a autoproteção.

7- Ser cauteloso em complicações agudas do diabetes. As infecções por COVID-19 são caracterizadas principalmente por febre, fadiga, tosse seca e poucas pessoas apresentam sintomas como congestão nasal, coriza e dor de garganta. Na forma leve os pacientes apresentam apenas febre baixa e fadiga leve, e podem ser observados em casa, enquanto pacientes graves que desenvolvem dificuldade em respirar ou hipoxemia (baixa oxigenação) devem procurar imediatamente serviços de emergências.Pacientes diabéticos são recomendados para medir a temperatura corporal todos os dias e verificar se eles têm sintomas correspondentes. A infecção é uma causa comum de cetoacidose diabética e coma hipertônico, com sintomas como náuseas, vômitos, dor abdominal, hálito de “maçã podre”, “cetona “urinando demais , boca seca e glicemias altas acima de 400 ou nos glicosímetros HY .

Não poderia terminar sem recomendar o contato com seu médico por qualquer meio, para pequenas orientações , quando a critério dele ir a consulta presencial com os cuidados preventivos . Sua consulta resultará em adequação do tratamento e melhor controle que, sem dúvida supera os riscos de contágio.Não vá aos serviços de emergências e clínicas em hospitais sem necessidade. Só em extrema necessidade acima apontadas. O hospital é um ambiente com chances de contaminação. FIQUE EM CASA

Autor:Prof. Dr. Fadlo Fraige Filho- CRMESP 13.986
Presidente ANAD e FENAD
Prof. Titular de Endocrinologia da Faculdade de Medicina do ABC Presidente Eleito do International Diabetes Federation SACA 2020 -2021

>